Rubi e Safira – Fiyah Jewellery

Rubi e Safira

De Ben Collinson

Ruby and Sapphire

Antes do lançamento do nosso novo anel solar FIYAH, que é o primeiro anel que fizemos com pedras preciosas naturais (está disponível com a opção de rubis ou safiras), aqui estão algumas informações sobre as pedras.

Rubi

Natural Ruby é uma das quatro pedras preciosas (incluindo Diamond, Emerald e Sapphire) conhecida por sua raridade, valor monetário e dureza (perdendo apenas para Diamond). O rubi é o corindo vermelho, um mineral de óxido de alumínio com cromo responsável por sua rica cor vermelha. O nome vem da palavra latina rubeus, significando "vermelho", e até 1800, quando Ruby era reconhecido como uma variedade de corindo, espinélio vermelho, turmalina e granada também eram considerados rubis. Todas as outras variedades de cores de corindo são designadas como safira.

O ardente e cativante Ruby é uma pedra da nobreza, considerada a mais magnífica de todas as gemas, a rainha das pedras e a pedra dos reis. Antigos acreditavam que ela ultrapassava todas as outras pedras preciosas em virtude, e seu valor excedia até o do diamante. Dizia-se que o imperador chinês Kublai Khan ofereceu uma cidade inteira em troca de um considerável Ruby.

Reverenciado em muitas culturas ao longo da história, Ruby sempre foi um talismã de paixão, proteção e prosperidade. Simboliza o sol, e sua tonalidade brilhante sugere uma chama inextinguível dentro da pedra que, segundo as lendas, brilharia até nas roupas mais grossas e não podia ser escondida; se o Ruby fosse lançado na água, faria com que fervesse e, se esculpido e pressionado em cera, derreteria a cera. Era usado como amuleto ou amuleto para afastar pragas e pestes, advertia seu portador de perigo iminente, mantinha o corpo seguro e bania a tristeza e os pensamentos tolos. Tinha a reputação de trazer a paz ao dono, afastar sonhos terríveis, restringir a luxúria e ajudar a resolver disputas. A lenda birmanesa declara que a inserção de um rubi na carne tornaria alguém completamente invulnerável.

Hoje, as propriedades metafísicas de Ruby não são menos surpreendentes. Este cristal requintado emana o puro raio vermelho com uma vibração insuperável no reino mineral. Estimula ativamente o Chakra da Base, aumentando a vitalidade e chi, a energia da força vital, através do corpo físico e no espírito. Promove uma mente clara, maior concentração e motivação, e traz um senso de poder ao usuário, uma autoconfiança e determinação que superam a timidez e impulsionam a pessoa à prosperidade e à conquista.

Ruby inicia os prazeres sensuais da vida. Agita o sangue e estimula o coração, incentivando a pessoa a gostar de estar no mundo físico. Aumenta o desejo e a energia sexual e pode ser usado para ativar a kundalini. Ruby sempre foi associado ao amor, especialmente ao compromisso e proximidade apaixonados fiéis. Na antiguidade, os rubis eram considerados pedras de casamento perfeitas.

O rubi se forma em cristais prismáticos tabulares, bipiramidais ou romboédricos, além de hábitos granulares ou maciços, e possui um brilho vítreo. Os Rubis mais valiosos e desejados são os de uma sombra chamada "sangue de pombo", definida por William Fernie como "um vermelho profundo, rico e rico, sem nenhuma mistura de azul ou amarelo", embora outros o definam como "um vermelho puro com um pitada de azul. " A tonalidade do vermelho varia dependendo de onde é extraída, e pode ser um vermelho-rosa profundo, um laranja-avermelhado, vermelho com um tom violeta ou até uma cor de vinho profunda. O corindo rosa mais pálido, debatido como Ruby por alguns, é geralmente referido em termos gemológicos como safira rosa em vez de rubi.

Todos os rubis naturais têm imperfeições, incluindo impurezas de cores e inclusões de agulhas de rutilo conhecidas como "seda". Essas inclusões ajudam a distinguir o Ruby natural dos sintéticos e, quando orientadas estruturalmente para que a luz brilhe da “seda” de certas maneiras, as inclusões aumentam a raridade e o valor da pedra. Se cortadas em cabochão, essas pedras especiais podem exibir chatoyancy, ou raro efeito "olho de gato", ou no caso de um Star Ruby pode exibir um efeito de estrela de seis raios chamado asterismo, que faz com que os raios de luz pareçam deslizar magicamente através da pedra à medida que é movida.

Safira

A magnífica e santa safira, em todos os seus tons celestes, é uma pedra de sabedoria e realeza, de profecia e favor divino. É sempre associada a coisas sagradas e considerada a jóia de gemas, uma jóia rica em história e tradição de quase todas as religiões. Para o mundo antigo e medieval, a safira azul celeste significava o auge da esperança e fé celestes, e acreditava-se que ela traz proteção, boa sorte e insight espiritual. Era um símbolo de poder e força, mas também de bondade e juízo sábio.

Na tradição hebraica, o rei Salomão e Abraão usavam talismãs de safira, e a lei dada a Moisés no Monte era gravada em tábuas de safira. Os gregos usavam isso em sabedoria em Delfos ao procurar respostas no Oráculo no santuário de Apolo. Os budistas acreditavam que isso trazia devoção e iluminação espiritual, e os hindus consideravam a safira uma das "grandes jóias" usadas nas ofertas nos templos para adoração e alinhamento de influências astrológicas. No cristianismo, era usado em anéis eclesiásticos e era apreciado pelos reis e nobreza por seus poderes de proteção e discernimento.

Como talismã, pensou-se que Sapphire preservasse a castidade, descobrisse fraude e traição, protegesse seu portador de veneno, praga, febre e doenças de pele e tinha grande poder em resistir à magia negra e aos desejos desagradáveis. Ele curava doenças dos olhos, aumentava a concentração e perdia o brilho se usado por uma pessoa intemperada ou ímpia.

Hoje, a safira ainda é uma Pedra da Sabedoria, uma pedra real de aprendizado, acuidade mental e ativação psíquica, uma buscadora da verdade espiritual. Seu puro raio azul traz ordem e cura à mente, emprestando força e foco, e a capacidade de ver as aparências superficiais das verdades subjacentes e de utilizar esse conhecimento. Estimula os chakras da garganta e do terceiro olho, permitindo acessar níveis mais profundos de consciência, a fim de obter uma compreensão mais completa do eu. Associada ao planeta Saturno, a Blue Sapphire adota ordem, estrutura e autodisciplina e é ideal para atingir objetivos e manifestar idéias em forma. O poder da safira de transmutar pensamentos e energia negativos também a torna altamente eficaz para a cura da terra e dos chakras.

A safira é uma variedade de corindo, um mineral de óxido de alumínio que se forma em cristais prismáticos tabulares, bipiramidais ou romboédricos, além de hábitos granulares ou maciços, e pode ser transparente a opaco. O azul é considerado a cor "verdadeira" da Safira e a mais frequentemente reconhecida, embora a Sapphire se forme em uma diversidade de cores (listadas abaixo) e tenha a cor adicionada ao seu nome (por exemplo: Safira Verde, Safira Amarela). Compostos minerais adicionais formados com óxido de alumínio são responsáveis pela coloração diferente e, no caso de Blue Sapphire, ferro e titânio fornecem seus tons celestiais. Com exceção do corindo vermelho, que é Ruby, todas as outras cores do corindo são safiras.

Informações de crystalvaults.com